7 de agosto de 2020
  • WhatsApp
  • Comunicar erro

NOTÍCIAS

14/07/2020 12:25  •  Atualizada em 14/07/2020 12:39

Biografia: Reidner trocou a vida de bancário para brilhar no futebol com a camisa do Goiás

Natural de Jataí, ex-jogador iniciou tarde, mas a tempo de construir sua história no futebol goiano

Arquivo Pessoal

Nascido e criado em Jataí, Reidner da Silva Lopes começou tarde sua vida no futebol. Aos 17 anos, o garoto jataiense trocou o emprego no banco da cidade pelo sonho de se tornar jogador de futebol após passar em uma peneirada do Goiás, em 1988. Mudou-se para Goiânia e fez sucesso com a camisa esmeraldina ao conquistar vários títulos. O volante ainda jogaria por Botafogo, Atlético-MG e Vitória-BA.

Mesmo sem passar por categorias de base anteriores, Reidner conseguiu ser aprovado em teste no Goiás com mais de 200 concorrentes. Ao fim de seu período como júnior, seria dispensado pelo Goiás, mas recebeu proposta que mudou sua trajetória na carreira e na vida pessoal.

Reidner foi emprestado ao Inhumas, assim como vários outros jogadores formados na base esmeraldina. O sucesso na pantera avinhada fez com que os dirigentes chamasssem ele de volta ao Goiás. Foi onde iniciou a trajetória vitoriosa do volante no clube.

Saiba mais:

Veja o perfil de Reidner

Relembre a campanha do Goiás na Série B de 1994

Ao longo de sua passagem, até 1998, Reidner foi campeão goiano quatro vezes - 1994, 1996, 1997 e 1998. Além disso, o jogador fez parte da campanha do acesso à Série A no Campeonato Brasileiro de 1994.

"Foi um time de baixo custo  e com potencial altíssimo. Depois daquela campanha muitos jogadores foram vendidos e deram sustentação financeira pelo clube", comentou Reidner.

Depois da longa passagem no Goiás, Reidner se transferiu para o Botafogo. No time de General Severiano, o ex-volante entende que viveu seu auge técnico. Com problemas financeiros vividos pelo clube carioca, Reidner foi emprestado a clubes como o Atlético-MG e o Vitória-BA, onde foi campeão baiano. 

O jogador pendurou as chuteiras aos 31 anos, após ficar um ano encostado pelo Botafogo por não abrir mão de uma dívida que o clube tinha com ele. Depois disso perdeu o gosto pelo futebol profissional e voltou para Inhumas, onde havia iniciado a trajetória no futebol profissional e conhecido sua esposa. Hoje, Reidner é empresário na cidade e no campo e leva uma vida simples. 

Mais notícias

05/08/2020 - Biografia: Palhinha, o meia goleador do Atlético-GO
03/08/2020 - #TBT | Iarley brilha e Goiás vence Flamengo-RJ no Serra Dourada
01/08/2020 - Depois de 10 anos, goianos voltarão a se enfrentarem na Série A
29/07/2020 - #TBT | Há 68 anos, FGF convocava clubes para mudanças profundas no futebol em Goiás
29/07/2020 - Como foi o título goiano do Vila Nova em 1977
Desenvolvido por brgomes.com