07/10/2017 21:32  •  Atualizada em 07/10/2017 21:34

Doping, polêmica e títulos; Célio, o gaúcho de Santa Catarina

Ele driblou até um descongestionante nasal antes de conquistar a América


Acervo pessoal/Célio Gaúcho

Célio Gaúcho é um daqueles personagens que tem muita história para contar. Logo em seu primeiro ano de jogador de futebol profissional seu nome foi envolvido em uma polêmica. Um descongestionante nasal que continha uma substância proibida por muito pouco não prejudicou a sua potencial carreira.

Apesar do apelido remeter ao Rio Grande do Sul, sua cidade natal é Orleans, em Santa Catarina. No futebol goiano, se notabilizou por fugir de uma característica comum entre os demais jogadores de sua posição na época. Já em meados dos anos 80, ele apoiava bastante o ataque. Inclusive, em sua estreia entre os profissionais marcou gol.

Revelado na base do Atlético-GO, Célio Gaúcho, ajudou o Dragão a encerrar um jejum de quinze anos sem títulos com a conquista do Campeonato Goiano de 1985. Três anos mais tarde, voltou a levantar esse mesmo troféu com a equipe rubro-negra. Após passagens por Portuguesa-SP e Náutico-PE, conquistou pelo Cruzeiro-MG o maior título de sua carreira a Super Copa Libertadores de 1991.

O lateral esquerdo retornou ao futebol goiano em 1993 e voltou a ser Campeão estadual, desta vez, com o Vila Nova. Antes de encerrar a carreira, Célio Gaúcho ainda teve mais uma passagem pelo Atlético e vestiu também a camisa da Anapolina.

Confira a ficha do jogador:



Mais notícias




Programa de rádio

Edição 160 - Célio Gaúcho

Todos os domingos às 12h na Rádio 730

Enciclopédia


Em seu primeiro jogo válido pelo Campeonato Brasileiro, o Goiânia venceu o CEUB (DF), por 2 a 1. A partida foi realizada no dia 24/08/1975, no Estádio Serra Dourada.